IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL HISTÓRIA E LÍNGUA: INTERFACES
A linguagem médica no século XVIII corpora e Humanidades Digitais

Decorreu, nos dias 09 e 10 de dezembro, na Universidade de Évora o IV Seminário Internacional História e Língua: Interfaces, dedicado ao tema "A linguagem médica no século XVIII corpora e Humanidades Digitais".

Esta edição do Seminário visou reunir, na Universidade de Évora, a equipa do projeto "Humanidades Digitais e Conhecimento Médico em Língua Portuguesa no Século XVIII: Heranças para o Presente, Terminologias e Funcionamento da Linguagem", aprovado pela CAPES e pelo CNPq, e coordenado pela Professora Maria José Finatto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil). O projeto alia a investigação filológico-linguística da obra de Curvo Semedo, médico português, à Linguística Computacional.
Além dos membros da equipa brasileira e portuguesa, no IV Seminário participaram investigadores de outras universidades portuguesas, assim como de instituições de Espanha (Universidade de Salamanca e Alcalá de Henares) e do México (U. Autónoma de Querétaro), que se associaram ao CIDEHUS na organização deste evento.

 

 

conferência de abertura esteve a cargo de José Pedro Sousa Dias (Universidade de Lisboa/Faculdade de Farmácia), versando sobre o Poder médico e autonomia dos doentes na viragem do século XVII para o XVIII, segundo a ‘Polianteia Medicinal’ de João Curvo Semedo
O segundo dia do Seminário terminou com a conferência “Terminologias médicas do século XVIII em Português: enlaces Portugal-Brasil, heranças de J.C. Semedo”, proferida por Maria José Finatto (PPG-LETRAS-UFRGS – CNPq- Brasil). Houve ainda tempo para o lançamento do livro “Assim nasceu uma língua. Sobre as origens do português” (2019), da autoria de Fernando Venâncio, que foi apresentado por Maria Filomena Gonçalves.

Saiba mais...

 

Publicado em 19.12.2019